Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

A dieta dos 365 dias

Blog de nutrição. Alimentação saudável. Receitas. Acompanhamento online.

Dicas para "o meu filho não pára de comer"

07.03.20 | Gisèle Magno

Vamos partir do princípio que falamos de crianças saudáveis que simplesmente acham a comida demasiado boa para servir o prato só uma vez.

 

- O exemplo é fundamental, comece por não ter em casa alimentos processados, doces, snacks salgados. Tem de valer para todos reduzir o consumo de alimentos menos saudáveis;

- Ensine o seu filho a comer devagar, a mastigar bem os alimentos, a saborear em vez de devorar;

- Nas refeições principais não podem faltar fibras, vão ajudar à saciedade. Sopa, legumes e leguminosas no prato como regra vão salvar o dia;

- Nunca deixe o seu filho sair de casa sem pequeno almoço. Papas de aveia, nestum de arroz, panquecas de aveia, pão de farinhas escuras com queijo magro são exemplos de refeições que o vão ajudar a sentir-se mais saciado;

- Opte por lácteos magros;

- Fruta e frutos secos, iogurtes, gelatinas, queijinhos, tortilhas, cereiais tipo corn flakes para comer "à mão" e marinheiras são exemplos de snacks fáceis que o seu filho pode e deve levar para ir comendo sempre que tenha fome;

- Habitue o seu filho a beber água ao longo do dia, sempre ajuda o estômago a não se sentir tão vazio.

Dicas para "o meu filho não come"

06.03.20 | Gisèle Magno

Vamos partir do princípio que falamos de crianças saudáveis, simplesmente "esquesitinhas" para comer ou com a "mania" que não querem perder tempo à mesa porque é hora de brincar.

 

- Crie hábitos e horários minimante estáveis para as refeições, numa lógica de educar o organismo do seu filho tentando que a fome comece a aparecer naturalmente;

- Torne o pequeno almoço absolutamente obrigatório e não negociável;

- Tenha sempre um grande leque de opções alimentares disponível, dê alguma responsabilidade na escolha à criança para a tentar envolver um pouco mais no processo;

- Faça sumos de fruta natural e enriqueça-os com farinha de aveia;

- Coloque batata e leguminosas na sopa, tudo passado;

- Use papas como nestum e cerelac, hoje em dia todos têm opção com menos açucar;

- Faça bolos caseiros/bolachas, com farinhas menos refinadas e açucar amarelo. Use como lanche e pequeno almoço;

- Compre lácteos meio gordos e até enriquecidos com proteína;

- Use farinha de frutos secos e/ou manteiga de frutos secos para adicionar a pão/iogurtes/tostas/papas;

- No prato vale tudo menos fritar e usar enchidos, "frite" batatas no forno, adicione queijo às massas, faça hamburgueres e pizzas em casa;

- Faça puré de fruta, no qual pode adicionar os frutos secos triturados.

Sobre alimentos processados prontos a consumir

02.03.20 | Gisèle Magno

Vocês sabem que um alimento processado será sempre um alimento processado mesmo que tenha ouro dentro, certo?

Um dos grandes problemas na nossa alimentação é o "ready to go" levado ao exagero, somando o "high protein" em tudo!

De repente estamos rodeados de barritas, preparados de papas de aveia, muffins, bolachas sem açucar com um sem fim de ingredientes desnecessários e alegações como "low carb", "high protein", "no added sugar". E isto é vendido como saudável, quando se afasta cada vez mais do conceito de comida natural, com poucos ingredientes e poucos aditivos que sabemos ser fundamental a uma boa saúde! 

Precisamos voltar à base, ir para a cozinha, meter literalmente as mãos na massa e fazer nós mesmos! Querem "low carb"? Troquem o tipo de farinha e a quantidade! Querem "high protein"? Usem frutos secos, proteína em pó de qualidade, lacticínios ou ovos nos preparados. Querem "no added sugar"? Usem mel ou fruta ou nada!

E a moda da comida já feita congelada? Gente, assim não vamos lá.. Tempo na cozinha e nas compras é tempo "perdido" para ganhar saúde!

Pág. 2/2